07 novembro, 2010

3 de uma vez


Olá!

Apesar do cão estar "adormecido", apeteceu-me vir cá "arrimar" com 3 expressões.

AGUADA
Dizia-se (e se calhar há quem ainda o diga) que é normal as grávidas quando estão com desejos de estar "aguadas". E quando isto supostamente acontece, passo a citar a explicação, "tem que se lhes dar o que elas querem senão os "cachopos" nascem de boca aberta". Por isso cuidado! Tenham muito cuidado quando virem uma pessoa aguadinha!


AMADORNADA
Expressão usada para definir aquela pessoa que não está a dormir nem está...acordada!


E por último, meus senhores.... rufar de tambores....
NÃO ME BATAS NA CABEÇA QUE ANDO A ESTUDAR À NOITE!

Nem vou tentar explicar o que esta última expressão quer dizer pois creio que ultrapassa a barreira linguística!

Bem, vou andando. Passei só mesmo para isto.

Abraço canino

19 julho, 2010

Barba feita e cú rapado, um homem pode ir a qualquer lado!

Nada como esta maxeca de expressão para fecharmos este projecto malinoso.

Como tudo na vida, existe um princípio, um meio e um fim.

Chegamos ao fim de uma grande odisseia. Estou orgulhoso do que aqui conseguimos reunir, pois acima de tudo contribuímos para o registo da cultura de um povo e, ao mesmo tempo, ainda nos rimos bastante com isso.

Gostava de vos brindar com alguns números, de forma a verem o que juntos conseguimos amealhar:

* Início em Março de 2007
* 145 posts publicados
* 609 alcunhas recolhidas
* 320 expressões malinosas
* Várias personagens malinosas
* Diálogos que não lembram nem ao diabo
* E grandes pérolas de sabedoria popular!


Quem sabe um dia se voltaremos noutros formatos para aprofundar algumas das expressões que se seguem:
- 'xaver (deixa ver)
- Parece uma arrevela boieira
- Comadre sem cú é madre
- Ir p'la carreira da borda/extrema
- Parece que ando aqui a dar áugua à cura
- Toquezinho de Barbela
- Gordo que nem um chibo
- Esbuzinar
- Vale mais cheirar a merda que cheirar a pobre
- Blhardêro
- Rebuçados de cuspo do pitrolino
- Corte de cabelo curtido à chapada
- É isso tudo e peixe pró gato
- Eh rapazecos
- Desemborregar
- Atracaçado
- Sandes de Carqueija e um copo de áuga a mexer
- Tico laricó quico, sem cu nem pau nem bico
- É só peido e coice
- Bazarú
- 'dass que é de Coruche!
- Ser pior que a cadelinha do Filipe
- Isso é ao pé do Sê Vitro
- Até ao cruto (encher de cruto)
- Um filme à moda do campo, com tiros pró ar e mulheres em pelica
- Dromitários (dromedários)
- Barba feita e cú rapado, um homem pode ir a qualquer lado!



Bom, e é tudo. Gostava de agradecer a todas as pessoas (voluntários e fãs) que contribuíram para o projecto com sugestões, comentários, dicas, alcunhas, expressões, etc.

Gostava também e principalmente de lhe agradecer a si, leitor malinoso, pois isto tudo só foi continuando devido às suas sonoras gargalhadas.

Um abraço malinoso,
Vasco Gaspar

13 junho, 2010

Verdade, verdadinha!


Não sei ao certo quem seria o suposto autor das histórias que vos vou contar a seguir. Já ouvi dizer que pertenciam pelo menos a 3 personagens alpiarçolhas: ao Zé Moca, ao Ideia Torta e ainda a um terceiro do qual não me recordo o nome. Mas não importa nada pois a veracidade das mesmas é de tal ordem que até poderia ter sido o Papa o protagonista, de tão verdadeiras que são. Ora vamos a 3 breves pérolas!


História #1 - Aulas de condução nas selvas do ultramar
Conta-se que o protagonista, certo dia, durante a guerra do ultramar, conduzia uma carrinha de caixa-aberta cheia de pretos lá atrás (até aqui, tudo bem). Dizia ele que ia 100km/h (sim, na selva, meus amigos, no meio da selva) e que a certa altura passou por cima de uma pedra, o que provocou um solavanco de tal ordem que os pretos saltaram todos no ar. Mas o nosso protagonista não se deixou ficar! Ao reparar em tal facto através do espelho retrovisor, decide fazer marcha-atrás a 200 km/h e conta-se que conseguiu apanhar os pretos todos antes de caírem no chão! Ainda falam do Rambo...
Grau de aldrabice: 10/10


História #2 - Aposto que mergulho pro Tejo da ponte de Santarém
Já regressado do Ultramar o nosso artista um dia ia com um amigo a pé em cima da ponte de Santarém. O amigo lembrou-se de o desafiar: "ouve lá, aposto contigo que não consegues mergulhar daqui de cima". O nosso protagonista, rijo que nem um pêro, decidiu aceitar o desafio. Não sei o que apostaram, mas para a época, sei lá, talvez um carneiro ou assim. O nosso "Stallone" fica apenas em cuecas, faz uns segundos de concentração, sobe para cima do corrimão e atira-se lá pra baixo! Quando vai quase a chegar à água o outro gritou cá de cima "HAHAHA, que já te enganei! Não te vou pagar nada!". O nosso "Rocky" mais uma vez não se deixou ficar! Ao ouvir tal sentença deu um golpe de rins, bateu com um braço num salgueiro e, aproveitando o impulso, ele cá em cima outra vez ao pé do outro!!! Fantástico...
Grau de aldrabice: 10/10




História #3 - Botas de cardas
Certo dia o nosso artista lembrou-se de ir ao cinema a Santarém. Calçou as suas botas novinhas em folha, cardadas, e pôs-se a caminho. Naquele tempo não havia muitos transportes e era comum os rapazes "apanharem" uma carrinha de caixa aberta que passasse e subissem lá para cima. Ora o nosso campeão viu uma carrinha e lá tentou subir para cima dela. Acontece que nunca conseguiu subir, tendo ido o tempo todo agarrado com os braços e com as pernas a arrastar pelo chão. Apesar de tudo lá conseguiu chegar a Santarém a tempo da sessão de cinema. Mas o pior estava pra vir. Ao olhar para as suas botas novas repara que tinha perdido as cardas todas! Assim não estava em condições de ir, pensou ele. Decide então, triste e abatido, voltar para Alpiarça. Ao chegar perto da estrada ia a passar outra carrinha, do género da primeira, pelo que se largou a correr de forma a subir lá pra cima. Mais uma vez não conseguiu e mais uma vez fez a viagem toda de rojo! Mas desta vez não eram más notícias que o aguardavam, a ele e às suas botas. Então não é que chegou a Alpiarça COM AS BOTAS TODAS CARDADAS OUTRA VEZ???
Grau de aldrabice: 20/10

Se souberem de mais histórias como estas, verdadeiras, claro, enviem que nós publicamos!

08 maio, 2010

Personagem Malinosa

Eu sei, eu sei... A semana passada não fui à feira buscar material pro blog... 

Estava aqui a pensar comigo: "tenho que arranjar algo que colmate esta falha grave". 
Então lembrei-me: "epah, e que tal juntar no mesmo post um pau em forma de fisga, um fenómeno da natureza e um cagadoiro de canas??? É mesmo isso!" Vou falar-lhes de mais uma personagem malinosa, o TITO CRAVINA"

Ora bem, por onde é que hei-de começar...?

Bom, se calhar começo mesmo pelo cagadoiro de canas, que é sempre algo agradável aos sentidos. Para quem não sabe, antigamente (e se calhar ainda hoje se usa esta tecnologia) nos meloais e outras cearas afins, as pessoas também precisavam, como hoje, de ir à casa de banho (sim, já se caga há muitos, muitos anos, pessoal). 

Visto estarem no meio do campo construíam umas casinhotas próprias para o efeito. Normalmente tinham uma estrutura simples, com 3 paredes e uma porta (feitas de madeira ou telhas de zinco) e não tinham tecto nem chão. O facto de não ter tecto servia para arejar. O facto de não ter chão servia mesmo pra cagar... Isto porque a estrutura tinha normalmente por baixo um buraco (ou era assente em cima de uma pequena valinha) para onde iam os dejectos, que por aí ficavam ao ar livre (mas sem problema, lembram-se que a coisa arejava, não era? Pois, pois, fiem-se nessa...). Para quem ainda não conseguiu visualizar sugiro que vejam o filme "Quem quer ser Milionário" que há lá uma cena que se passa num cagadoiro do género (será que foram os Portugueses que levaram a tecnologia pra Índia? Fica a questão...).

Então como as pessoas faziam? A parte de baixo do cagadoiro era muito simples: tinha normalmente umas tábuas onde as pessoas se punham de cócoras a "aviar o material" (sei que alguns "arquitectos", mais comodistas, tinham uma roda de Vespa a fazer de assento, mas isso já é tecnologia muito avançada, principalmente para esta estória).

Bom, e perguntam vocês: "então e onde entra o pau em forma de fisga?". E eu respondo: "calma que já lá vamos". 

Comecemos primeiro com o Sr. Tito Cravina, o tal fenómeno da natureza. Ao que parece o homem era muito avantajado num certo sítio. Digamos que se alongava em certa zona; ou que ao longe parecia um tripé; ou que se fosse da realeza era conhecido como o "conde da vara longa"; ou que... Enfim, acho que já lá chegaram, não?

Bom, a partir daqui a coisa é muito simples. O senhor tinha um problema quando recorria à tecnologia ultra-avançada dos cagadoiros de canas. Adivinhem o problema quando ele se agachava e algo de si tocava lá em baixo, nas profundezas do cagadoiro... Não seria agradável, certamente... 

Pois bem, vai daí ele resolveu a questão com classe e com uma contra-tecnologia ainda mais avançada, qual MacGyver: arranjou um pau com a forma de fisga numa das pontas, de forma a que ele pudesse repousar todo o seu Ser enquanto tranquilamente, agachado e rodeado de moscas, se desfazia por aí abaixo...

04 abril, 2010

Cães de Abril

Ora bem, hoje não só é Páscoa, como também é dia de Cão! (os mais religiosos que me perdoem a heresia, hehehe).


Antes dos mais religiosos fugirem, começo já por deixar 5 expressões que um dos nossos leitores nos enviou (acho que algumas já por cá andavam mas nada como relembrar):
- pargas de coisas
-
inxofráire a vinha
- arrancar o
tomatar
- guardar o milho nos
assilos
-
mequé o crosse?

- CHEGA-MA praqui ó chico do fuso!!!
-
ugasse!


(obrigado pessoal!)


Partilho agora mais 3 expressões com que me deparei nos últimos tempos.

Salapismo
Aqui há dias fui ver a minha avó, fonte preciosa de expressões malinosas. Ao ver-me ao longe começou a caminhar pra mim, coxa.
-
Então vó?, disse eu.
-
Ah rpá, nim digas nada...
-
Oh oh, atão?
- Querim lá ver isto, hein? Então não é que and'aqui outra vez toda danada do joelho?
- Então mas já tomaste qualquer coisa pra isso?
- À filho, pus-lhe aqui um salapismo.

Era nesta altura que se devia ouvir a voz do
Diogo Implante:
- "Salapismo: palavra alpiarçolha que significa o mesmo que emplastro".

Agora já sabem, se quiserem dizer a alguém que está armado em emplastro, mas fazê-lo de uma forma mais discreta e rocócó, podem sempre dizer:
"ouve lá meu querido, parece que hoje tás um pouco armado em salapismo, não?"


Catrapesão
Quando vou ver a minha avó venho sempre com o bornal cheio de expressões. Esta foi outra.
Catrapesão. Quando algo é mais pesado que o normal, ou até mesmo umas gramas a mais do que isso, ora aí está o termo correcto de lhe chamar: catrapesão. "Eh homme! Isso é q'andas aí! He he, ganda catrapesão!"


Rijo que nem uma tábua de solhe
Ora vamos a mais uma expressão.
Rijo que nem uma tábua de solhe. Esta é daquelas expressões que é usada, por exemplo, pelos machos da nossa terra em rituais de saudação: "Eh rapá-homme! (enquanto se dá palmadas no costado, por baixo do sovaco) Tás rijo que nem uma tábua de solhe!".
Por mais estranho que possa parecer, apesar de se comparar alguém a uma tábua de madeira, isto é um cumprimento elogioso e amigável. Alpiarça 1 - Resto do Mundo 0. Como remate final, o nome da madeira é solho e não solhe. Alpiarça 1 - Resto do Mundo 0.


Bom, deixo-vos com esta alcunha que ainda não constava do nosso cardápio:
Cabeça de Açafáte!


Boa Páscoa!!!

____
ps. juntem-se à nossa página no Facebook e contribuam com alcunhas, expressões, ideias, comentários, etc...
http://www.facebook.com/pages/Cao-Malinoso/297578908836

08 março, 2010

Ora sai mais uma dose...

Ora viva, companheiros! Voltamos com mais alguns "petiscos" linguísticos da nossa terra!

Alagar
Visto que o Tejo anda cheio de água, vamos começar pela expressão alagar. Já reparou que Alpiarça deve ser a única terra de Portugal onde alagar não significa apenas "ficar submerso"/"cobrir de água"/etc.?
Pode também ser usada quando queremos dizer que algo foi mandado abaixo/derrubado.
Alguns exemplos:
- "então não é que aquele corno me mandou uma cóquinada ca camnéte no muro que mo alagou?" (tradução: um senhor chifrudo bateu com a carrinha no muro e mandou-o abaixo).
- "arrmei-lhe c'uma punhada que o alaguei logo ali!" (tradução: "dei-lhe um murro e ele ficou inconsciente").

Igual é meter 2 dedos no cú e cheirar
Ora aí está a classe, o requinte, o toque máximo nas Pérolas de Sabedoria Alpiarçolha! Como era bom se os nossos deputados na Assembleia usassem expressões desta craveira! O País teria logo outro rumo. Por exemplo, quando dissessem ao Sócrates que este Orçamento era igual ao anterior ele poderia logo responder com um "Oh senhor deputado! Igual? Por amor de Deus! Igual, meu caro, é meter dois dedos no cú e cheirar!". É que perante uma verdade destas não há contra-ataque possível!

Pior que o boi do Lico
Dizer a alguém que é pior que o boi do Lico, é, normalmente, um elogio machista que significa dizer que o senhor em causa é mais "cobridor" que um boi de cobrição! E não um boi qualquer, meus caros. É o boi do Lico, boi mítico que era conhecido por ser o mais cobridor da região! Que o digam as vacas das redondezas!

Beber até chegar com o dedo
Para terminar ficamos com esta estimulante expressão. Imagine que está um tempo adegueiro (ver posts anteriores) e começa a beber uns copos com os amigos. Bebe, bebe, bebe... Chega então a um ponto em que está tão cheio que não cabe literalmente mais nada (chega lá com o dedo, recorda-se?). Bom, acho que não é preciso explicar mais... Deixo a sua imaginação fazer o resto!

___
Desejos de um excelente mês de Março. Aproveito para informar que estamos a ficar sem stock (já publicámos 140 posts!) e que gostaria de pedir a vossa participação.
Enviem-nos histórias, alcunhas, expressões, etc. Conto convosco!

Um abraço do Cão, o Malinoso, pois claro!

12 fevereiro, 2010

Pires de Alcunhas...

Ora segue fresquinho um pires de alcunhas que recebemos...
- O Zé Larápio
- Os Manos Brake
- O Patosga
- O Biças
- O Tonhanha
- O Kimtrolho
- O Maneca do Farol
- O Quintino
- O Traça Rabos

Só entre nós, que ninguém nos ouve, não conheço nem um!!!

08 fevereiro, 2010

Pronto pra ir pro marreta

Esta expressão tem direito a post próprio, de tão pertinente que se revela.

Enquanto na maioria do País se usa a expressão "pronto para ir para o Maneta" quando algo já não presta / está estragado (obs. o maneta era um general Francês, Louis Henri Loison), em Alpiarça usa-se também o "pronto para ir para o MARRETA".

Perguntei de onde vinha esta coisa do marreta e esta foi a história que me contaram:
Hoje em dia, quando um carro está velhinho e já não se aproveita, vai para abate, correcto?
Ora, antigamente quando as pessoas andavam de burro também assim acontecia. No entanto, quando o burro ficava velho "ia para o marreta". E o que era isso do ir para o marreta?

Hehehe, é aqui que a coisa ganha contornos interessantes... Basicamente levavam o burro a um senhor que tinha efectivamente uma marreta e que procedia ao abate dando uma marretada na cabeça do animal!!!

Qual o objectivo? Supostamente o "Zé das marretas" tinha um contrato com o Zoo de Lisboa e a carne dos burros servia depois para alimentar os leões!

Não sei se a coisa funcionava mesmo assim. O que sei é que se não funcionava a pessoa que inventou a história tinha uma imaginação do caraças! Cá para mim esse é que levou uma marretada na cabeça!

Cão Mix de Fevereiro


E já passou mais um mês que passou, ou usando o "alpiarçolho", mais um mês
galdido.

Comecemos por falar de uma espécie, as aves de arribação. E pergunta o leitor: o que é uma ave de arribação? Ora bem, pelo que sei aplica-se a expressão a mulheres que são muito dadas a saltar (arribar) de macho em macho dentro da mesma espécie. Mais palavras para quê? Tirem as vossas conclusões...

Falemos agora da origem do nome de Alpiarça. Como todos já sabem, o nome foi dado pelos Árabes, que em tempos habitaram esta zona. Mas porquê Alpiarça e não Alhalhulha? Reza a história que havia um príncipe chamado Alpi que por cá morava e que um dia estava à pesca. Parece que o peixe ferrou e a cana começou "a picar". Foi então que o seu nobre servo lhe disse: "Alpi! Arça!". Para os que não apanharam, arça significaria qualquer coisa como puxa, levanta, etc... (só entre nós, que ninguém nos ouve: mas que raio de m$#rd& de história é esta que inventaram??????").

Vamos agora a 3 adivinhas rápidas:
- como é que se chama ao membro mais novo de uma família? Em muitas terras é o benjamim, por exemplo. Por aqui podemos sempre carinhosamente chamar... caga-no-ninho... (aviso o leitor que isto hoje só vai piorar).

- O que chamar a uma pessoa muito gorda? Pode optar por uma de duas: "pareces o Zé Santa Camarão" ou "pareces o Porco da Lata da Banha". (continuamos carinhosos...)

- O que chamar a alguém que vai muito carregado (exemplo, com 3 ou 4 malas)? "Pareces o Preto da Casa Africana".


E bom, ficamos por aqui neste mix. Se sentir o seu cérebro ingrazelado no fim de ler este post, não se preocupe, é perfeitamente normal.

18 dezembro, 2009

Descarapsou-se


Aqui há dias estava a falar com um amigo ao telefone e a chamada foi abaixo. Como normal retomei a chamada. O meu amigo ao atender disse: "E então? Descarapsou-se?"

Descarapsou-se... Isto merece uma análise detalhada ao estilo CSI.

Ora bem, presumo que a palavra virá de carapuça que, como creio que todos saberão, é uma cobertura para a cabeça (quem não souber, que enfie a carapuça). Para além disso, existe na Língua Portuguesa a palavra descarapuçar, que significa "desbarretar ou tirar o barrete".

Até aqui tudo bem. E até percebo como passamos de descarapuçou-se para descarapsou-se (pois é mais prático, claro!). No entanto, como é que passamos de tirar a carapuça/chapéu/barrete ou seja lá o que for para o cair de uma chamada telefónica??? Ninguém me tira da cabeça que o cheiro a estrume no ar é o grande causador...

Um dia, quando Alpiarça tiver a sua própria rede de telemóvel, ouviremos finalmente a seguinte mensagem de voz quando ligarmos para alguém com o telemóvel desligado:

"ALPIFONE, o telefone para o qual ligou encontra-se de momento descarapsado. Por favor tente mais tarde".

07 dezembro, 2009

Dia de Feira, Dia de Cão

Conforme prometido, o Cão foi à feira buscar mais material... Para além disso ainda recebemos umas coisas dos leitores (obrigado!).

Ora vamos lá ao que interessa!

.
Balhana
Uma balhana, como nos disse um leitor, é uma coisa sem jeito (tipo a forma como o Sporting está a jogar esta época, estão a ver?)

.
Tarilho
Diz-se de uma pessoa que não tem juízo nenhum.
Exemplo: Ah cxopa, então mas tu vês q'ele na têm tarilho nenhum naquela cabeça?

.
Ganáu
Vamos ver como anda o ganáu?
Esta pode ser uma conversa típica entre 2 machos ribatejanos onde um pergunta se o outro quer ir ver como estão as gajas...

.
Carédo
No resto do País as pessoas dizem muitas vezes a expressão "Credo!". Em Alpiarça, como não podia deixar de ser, dizemos "Carédo!"

.
Rechega
Dar/levar uma rechega significa o mesmo que dar/levar porrada.
Exemplo típico de uma mãe para um filho: "ah meu ganda filho dum cabrão, levas uma valente rechega que vais ver!"

.
Molhadura
É muitas vezes empregue pra designar a pinga (não importa branco ou tinto, importa é cheio) que acompanha o petisco. Também é uma abreviatura da expressão "meia-dura".

.
Cabeça Artilhada
Há quem artilhe as motas e os carros pra coisa andar mais depressa. Depois há aqueles que já nasceram com a própria cabeça artilhada... Normalmente têm pouco tarilho....

.
Isto é que é tabaco!
Não sei como nem quando surgiu, nem qual a lógica que sustenta esta expressão, mas se ouvir alguém dizer "isto é que é tabaco", por exemplo, quando está a falar de uma mota, não se assuste. A pessoa está a apenas a dizer que aquilo sim, é uma coisa de qualidade.

.
Isto é só conversas árrecuar
Dito em bom Português, seriam conversas onde, em vez de se avançar, se recuava. E efectivamente é mesmo isso que acontece! Quando se tem conversas deste género, a probabilidade de evoluir no sentido de um Macaco Rhesus torna-se assustadoramente grande...

.
Gado afiançado
Imagine o cenário: está a trocar olhares e sorrisos com uma pessoa que não conhece do sexo oposto. Ganha coragem e decide avançar para dizer um "olá". De repente um amigo agarra-lhe o braço e sussurra-lhe por detrás do palito ao canto da boca: "Oh pssst. Vai com calma Chico... Cuidado que isso já é gado afiançado...."
Para quem ainda não apanhou, significa que o gado (fantástica ternura ribatejana) já "tem dono"...

.
Parece o macho do Cara-linda
O Cara-Linda, pelo que me contaram, era um senhor que tinha um macho (o "marido" da mula, pois então). E acontece, pelo que ouvi também dizer, que esse macho andava sempre cheio de mazelas e coberto de ligaduras.
Ora, imagine o leitor que se aleija e sai à rua com umas ligaduras: é mais do que esperado que lhe arremessem com um "eh pá, então o que é que te aconteceu? Pareces o macho do Cara-Linda".

.
E, para terminar, nada como uma dose de alcunhas que nos enviaram:
- O Olhos de Vaca
- O Bão Come Merda (é o que eu digo, a eterna ternura Ribatejana...)
- O Jaquim do Leite
- O Telhocas
- O Leitinho
- O Zé do Bêco

.
Até pro Ano!

01 novembro, 2009

Menú Feirante

Acabámos de chegar da feira de forma a podermos começar com algo em grande, pelo que vos trazemos um mega-mix de expressões alpiarçolhas (algumas podem também ser de outros sítios, mas pronto, conta é a intenção). Ora vamos lá a isto!


Porrada de 3 em Pipa
Apesar de não sabermos o porquê do "3 em pipa", a coisa significa o mesmo que "festival de porrada". Assim, quando virem um "maranhal" de gente à briga, já sabem dizer o que viram.


Ditoque
Não, podia ser o mesmo que bitoque mas não é. Significa o mesmo que ditado, como aquele que diz "deitar tarde e cedo erguer, dá mais tempo pra beber".


Aporcatar
Quando ouvir alguém dizer "vou-me só ali aporcatar", significa que a pessoa vai só ali comer qualquer coisa.


Olho no burro e cachaporra no cigano
Na maioria dos sítios usa-se a expressão "com um olho no burro e outro no cigano", que significa estar atento e de olho aberto. No entanto em Alpiarça há muita gente que em vez do olho põe logo cachaporrada à mistura, ou seja, pelo sim, pelo não, apelamos logo à porrada no cigano antes mesmo de ele pensar em fazer algo ao burro!


Lanzêra
Quando alguém diz que está com a lanzêra, quer dizer que está mole, com preguiça. Hoje, Domingo, com o tempo adegueiro, está propício para usar a expressão.


Lapatruz
Um gajo que seja lapatruz é um gajo que é pesado, mole, desajeitado. Por exemplo, segundo a minha mãe eu era um bebé muita lapatruz, com o cú pesado, que raramente me conseguia levantar.


Caçar um fiambrito
Agora diz-se "vou comer uma pita". Há uns anos dizia-se "vou caçar um fiambrito".


Piruleta
No resto do País as pessoas fazem piruetas. Em Alpiarça não, fazem piruletas.


Emarovado/a
Que está triste, que está apático.


Emonado/a
O mesmo que emarovado/a.
No outro dia perguntei à minha avó como estava a cadela dela. Disse-me que estava emarovada. Perguntei-lhe o que isso significava e ela respondeu-me que era o mesmo que emonada... enfim...


Barrafal da Miga
Quando virem alguém a comer que nem um animal, podem sempre dizer "eh pá, este gajo parece o Barrafal da Miga!". Não me perguntem porquê, pois nem sei o que quererá dizer Barrafal, mas que soa bem, soa!


Porco da Lata da Banha
Dantes havia (se calhar ainda há) uma marca de Banha de Porco cujo logótipo era a imagem de um porco (umas caixas brancas redondas, com letras e logótipo a vermelho, recordam-se?). Sempre que virem alguém muito, muito gordo, podem sempre dizer "este gajo parece o porco da lata da banha!"


Cumúla
Aqui há dias fui ver a minha avó. Estava a varrer o quintal. Quando ia a chegar perto dela, disse-me para ter cuidado para não pisar a cumúla. Intrigado, continuei a andar até que percebi depois de mandar um pontapé sem querer naquilo, que era o nome que ela dava ao acumulado de lixo que ela estava a varrer.


Pernangolha
O meu sobrinho, como qualquer bebé que se prese, tem umas pernas grandes e gordas, ou seja, umas pernangolhas!


Vareio
"Vocês nem me digam nada que eu inté vareio!!!" Mais palavras para quê?


Cajêrão/Cajerôa
Um cajêrão é um gajo que bebe muito!


Lavajona
Uma lavajona é uma gaja (normalmente feia), que se lava pouco e que normalmente só se "safa" com cajeirões!


Bom domingo e até à próxima feira!!!

Quando sai o Cão? Em dias de feira, claro!

Esta coisa de nunca se saber quando se escreve no Cão não está com nada. Ora é semanalmente, ora passa meses sem cá vir. Então??? Que raio de cãozisse é esta???

Sabem como são os cães, não é? Imprevisíveis... Mijam onde lhes apetece, quando lhes apetece...

No entanto vamos tentar domesticar um pouco este Cão.

A partir de hoje, o Cão vai ser tipo a feira de Almeirim (e de Alpiarça agora, também):
ao primeiro domingo de cada mês, temos Cão. Assim, nada como acordar de manhã para ir comprar uns pintos e uns bancos de pau e depois chegar a casa e ler o Cão Malinoso...

Boas feiras e continuem a mandar essas maxitas!

10 outubro, 2009

Autárquicas2009

Este ano o diabo, mesmo que venha, vai-se ver diabo para escolher...

Como a expressão que ouvi uma velhinha no outro dia aí dizer: "venha o diabo e leve-os a todos!"

Será que estava a apelar ao voto nulo?

13 setembro, 2009

Lapada

Em Alpiarça a malta é civilizada. Ninguém dá (nem leva) chapadas. Por cá a malta leva (e dá) lapadas.

Não sei porquê mas associo sempre um lapada a uma chapada dada com as costas da mão mas acho que já é invenção minha...

Deixo-vos aqui uma história clássica partilhada por um leitor nosso (obrigado Paulo), para ilustrar um bom uso para a lapada:


(Na praia)
Jean Pierre vien ici…..
Jean Pierre vien ici….
Anda cá João Pedro, sai da água!
Tas com duas lapadas nos cornos na tarda nada…

Cão Mix Vol 3945

Recebemos este "carregamento" de expressões há dias duma leitora do cão (obrigado Margarida), o qual passamos a transcrever literalmente.

Ora regalem-se lá com estas preciosidades!


As pessoas que em vez de irem tirar um dente vão mandar tirar um dente.

Os que fazem anos ganham prendas, ou se passam de ano...

Toma-se indicamentos quando se está doente

Quem tem doenças crónicas tem de ser muito viajado (vigiado)

Quem come comida sem verduras come comida branca...

E a expressão Já pareces o Barbotes:

Conta-se que o Barbotes era casado com uma mulher coxa, há muitos anos. Um dia, bêbado, chegou a casa já ela estava deitada. Quando se foi deitar puxou a roupa para trás e reparou que ela tinha uma perna mais curta."A filha da puta é coxa e nunca me disse..."

Avagadela

Finalmente tive uma avagadela para escrever.

Passo a transcrever a descrição que recebemos sobre agavadela.

"Diz-se quando houver um tempo morto, por exemplo:
- Quando tivermos uma "avagadela" vamos lá colocar-te o portão novo.

Quando me fizeram o restauração da casa achei muito giro o empreiteiro colocar isso no orçamento."

Como diria a menina de uma tv qualquer "há coisas fantásticas, não há?"

15 agosto, 2009

Uma pausa nas férias

Oh cxopa, ou tapas as mamas ou mamasas!!!

-

Decidi fazer uma pausa nas férias para "arrimar" com umas expressões que me têm enviado.

Ora vamos a isso!

Pôr de almargio - colocar alguém fora de casa (ex. epah, então não sabes que a melher do coiso o pôs de almargio?)

Ainda as mamas - ameaça dirigida a alguém (o mesmo que "ainda levas"). Pode ser igualmente dita por Mamasas (ex. Queres ver? Olha que mamasas!)

Fox - Expressão alpiarçolha pra lanterna (ex. Oh Jquim, traz lá o fox pra ver se anda alguem no quintal!)

À cortar à direita/esquerda - confesso que esta não percebi. Estará relacionada com dar indicações de trânsito? Fico a aguardar indicações... :)


Também nos arremataram com algumas alcunhas, pra juntar ao relheiro que já existe:
- O Esgapa
- A Laidinha (ou Laide, para os mais próximos)
- O Saul Feio (este já é "cromo" repetido, quere-me parecer)
- O Sabino
- A Metro-e-Cem-Canina (filha do Metro-e-Cem)

Obrigado pelas "cãotribuições"!

27 junho, 2009

11 em 1

Como já é tarde e tou com o cérebro todo escalhado, não tenho tuna para escrever um post para cada questão. Tou a precisar de descabeçar um cadito... Tou com tanto sono que quase me apetece deitar em cima daquela caixa de cartlão que prá'li está...

Ainda por cima porque estou ref*did* pelo facto de ter estragado o jantar... ficou a carne toda esqueimaçada... Isto pra não falar que me queimei com um forfe quando estava a tentar acender o lume.

Enfim... vou mas é lavar esta caraçoila e tirar esta roupa, pois tou-me a sentir todo atrogalhado com ela.

Vou dormir. Boa noite e um queijo.


Tradução para Língua Portuguesa:
Escalhado = chocalhado (já fizemos um post sobre o tema)
Tuna = energia / alento
Descabeçar = descançar/dormir
Cadito = bocadito
Cartlão = cartão / papelão
Ref*did* = sem tradução possível...
Esqueimaçado = queimado
Forfe = fósforo
Caraçoila = cara grande
Atrogalhado = apertado / preso

21 junho, 2009

Tropila

Aqui há meses coloquei falei aqui sobre o que era um provisador.

Lembraram-me há dias que me tinha esquecido de mencionar as tropilas, que são basicamente o mesmo mas que mandam pó, em vez de líquido.

Pensaram o quê? Que uma tropila era a pila de um tropa???

Porrada de 3 em pipa

Aqui há dias enquanto bebia um café, alguém comentava na mesa ao lado: "Bem, haviam de ver ontem lá na feira! Aquilo é que foi porrada de 3 em pipa".

Duas coisas que quero partilhar convosco:
1 - percebi perfeitamente a expressão e faz todo o sentido na minha cabeçorra alpiarçolha
2 - depois de muito pensar a tentar "dissecar" a expressão, não faço a mínima ideia de como explicar a mesma ao meu sobrinho, caso um dia ele me peça para tal... Porquê 3 e não 4? E porquê em pipa????

Alguém me quer ajudar?

Tracalhada

Quem é que não sabe o significado de tracalhada???

Parece que na maioria do País (leia-se, fora de Alpiarça), praticamente ninguém...

Mas que raio de tracalhada vem a ser esta?

15 junho, 2009

Cutunhos


Se alguém em Alpiarça lhe disser "tira daí os cutunhos", está-lhe a pedir, delicadamente, que retire dali as suas mãos.

Já agora, cutunho é também uma das palavras usadas para definir "mão de porco" (sim, do animal).

Será coincidência?

Mais umas alcunhas...

Vi que alguém tinha deixado estas alcunhas perdidas num comentário lá atrás:

O Manel Nabo
O Prisidente
O Sete bocas
O Pazuza
O Russo canino
O Sovia

Obrigado!

06 junho, 2009

Home

Há mensagens que se elevam acima de todas as temáticas.

Esta além de ser uma delas, é urgente e pode ser vista aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=jqxENMKaeCU

Só temos esta casa pra viver. É a escolha de cada um o passo que dá a seguir.

Um abraço,
Vasco